segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo!...

Mensagens Para Orkut - MensagensMagicas.com
</a

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Natal e Ano Novo!...

O Blog " As vezes Céu Azul " deseja a todos os seguidores, amigos e visitantes um  Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações.

Beijo e abraço

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Como explicar o amor!...

Como explicar o amor? Os poetas tentam exprimi-lo em palavras, as canções tentam traduzir seu sentido e os loucos pensam que conhecem seus mistérios. Alguns o buscam incansavelmente, outros fogem dele, assustados. Muitos o tem como um tesouro mais precioso, enquanto outros carregam as amargas cicatrizes por tê-lo perdido pelo caminho... mas, como explicar esse sentimento que nasce no peito da gente num estampido furtivo, numa explosão calma e invisível, que nos transforma a todos? Que transforma o mais valente em fraco e que enche de coragem o coração do mais covarde? Que transforma o mais honesto em mentiroso e que enche de compreensão o coração do mais selvagem? Que transforma trevas em luzes, desertos em jardins floridos? Como explicar esse sentimento atrevido, que nos invade, fazendo nosso corpo tremer sem ter frio, nosso coração disparar sem motivo, nossas mãos suarem, nossos olhos brilharem, toda vez que a gente vê aquela pessoa à nossa frente? Aquela pessoa! Que poderes tem aquela pessoa, um simples mortal como eu, mas que é mais do que qualquer pessoa? Aquela pessoa é o próprio instrumento do amor, creio. Como explicar?
E por que o amor dói dentro da gente? Por que será que, muitas vezes, ele nos aflige, nos afugenta, nos acorrenta, nos escraviza? Por que queima? Essa chama que não vemos, que corrói e não sabemos onde? Nossa alma? Nosso corpo? E onde é o começo dele e o fim? Sabemos? Onde está o irremediável segundo em que nos entregamos a ele? Em que momento, exatamente, nos deixamos cegar por ele? Como e quando nos deixamos atrair, indefesos, pelas suas garras magnéticas? Seria possível, ao mais intelectual, ao mais racional, ao mais insensível e ao mais cruel dos seres conseguir se desvencilhar das garras do amor, no momento fatal em que ele ataca?
O amor escraviza e... liberta! Te liberta para conhecer o outro lado. Te liberta para ver a beleza de tudo ao redor. Te liberta para ser feliz, daquela felicidade singela e pura, que é a felicidade de ser... simplesmente ser! Te faz sorrir, sonhar, esperar, cantar, e sua força é tanta, que a vontade é extravasar, dividir, gritar aos quatro ventos que ama, como se o amor nos fizesse orgulhosos de amar...
Aos que são mais comedidos, o amor se apresenta sorrateiro e ele tem os seus disfarces. Aos mais afoitos, ele vem transparente, claro, como uma onda, como um abraço. Aos temerosos, ele se chega manso, terno. O fato é que ele sempre vem, infalivelmente, e te pega de jeito, prega a peça, te encurrala e te apanha. De nada valem os protestos, a indignação, a contradição, a contra-posição... de nada adianta! Ele te apanha e te embala em seus braços, ele te apanha e te hipnotiza, ele te apanha e te cobre de ouro.
A Lua aproxima os corações que amam, o Sol aquece suas intenções, as estrelas refletem seus gemidos silenciosos. O mar deixa de ser grande, as montanhas deixam de ser intransponíveis, o infinito deixa de se perder na imensidão... por causa do amor. Como explicar essa grandeza? Como entender?
Seria o amor, uma porção menor de Deus dentro de nós mesmos? Seria como uma herança divina, abençoada, sagrada? Seria o amor exatamente o que precisamos para nos tornar dignos de um perdão? Dignos de uma absolvição qualquer? Dignos de uma eternidade? Seria o amor a peça que nos falta para entender tudo o que não entendemos? O bálsamo para as feridas? O exato refúgio de nossos pecados? O preciso alívio das desventuras? O que seria o amor, então?
E quantas formas ele tem? De quantas maneiras podemos amar? Quantas vezes tropeçaremos nele? Quantas pessoas no vasto mundo podem deter a força que o move dentro da gente? Quantas faces pode o amor ter? Muitas, eu diria. Muitas faces, muitas possibilidades, caminhos diversos, gerados do mesmo princípio cósmico: o amor!
Quisera eu pudesse entender a sua essência, quisera eu pudesse dominá-lo em suas profundezas, quisera eu pudesse saber a fórmula matemática perfeita que o ativa e o desativa, sua química, sua física, sua lógica! Quisera eu pudesse livrar do sofrimento aqueles que amam sem ser correspondidos, aqueles que amam e esperam, aqueles que amam à distância, aqueles que amam quem já se foi e até mesmo aqueles que nunca amaram... Quisera eu pudesse, mas não posso, afinal, não sou, eu mesmo, uma de suas vítimas?
Sou um simples mortal à procura de respostas. Fisgado e acorrentado aos mistérios do amor. Que sustenta sua leveza, que o acomoda dentro do peito, que o assiste, implacável. Sou apenas um ser que ama, sem saber explicar ao certo, o que vem a ser esse sentimento meu, íntimo em meus pensamentos, presente em meus gestos e palavras. Um sentimento tão meu e tão fora de meu controle. Um mal desejado, doença sem remédio, veneno sem antídoto, mas desejado pelo bem que me faz...

Autor desconhecido.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Corações despedaçados!....

Vidas amarguradas
Corações despedaçados,
Saudades das doces madrugadas
Páginas viradas no nosso passado...

Sonhos perecidos
Caminhos sem direção,
Dois seres perdidos
Em busca de explicação...

Somos cinza da ilusão
Chamas que queimam sem piedade,
Protagonistas de uma grande paixão
Esperanças adormecidas no colo da realidade!

Moacir Silva Papacosta

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Voltar a acreditar!...

Hoje o meu coração chora,
chora de amor e por amor...
Hoje quero voltar a acreditar, recuperar a minha fé perdida
acreditar no amor, no mundo, nas pessoas, e na bondade
que há em cada Ser,
Voltar a acreditar em mim, naquilo que sou, no meu Eu mais intimo
Hoje tenho medo de não ter forças para sarar tanta dor..e poder voltar a Sentir
Hoje quero voltar a ver o reflexo da minha Alma brilhando no meu olhar,
recuperar a minha alegria de sentir a Vida pulsando dentro de mim, a minha paz
Essa paz que era a minha festa todos os dias, independentemente do que houvesse fora,
paz que era a minha motivaçao, uma fonte de amor, onde todos vinham beber..
Hoje sinto-me tão perdida, num mundo onde me sinto alheia
Uma extra-terrestre fora do seu planeta, sem teto, sem chao..
Pregunto-me em que parte do caminho me perdí,
em que momento todo o meu Ser foi atingido por toda esta tormenta, desvastando tudo ao seu paso..
deixando uma profunda tristeza, em que momento o meu coraçao se perdeo
num inmenso vazio e obscuridão, onde só há lugar para Solidão,
vazío que me estremece e me arrepía,
que me paraliza e me aterra...
Procuro em cada recanto de mim um raio de Luz, que me ajude a sair,
que os meus olhos voltem a olhar cheios de Amor
que meus ouvidos escutem, a voz calma e serena que vem de dentro
Que a minha mente se acalme e se cale para ouvir o meu Espiritu
Procuro o amor perdido e no que quero Acreditar que está por vir
Todo o meu ser pede a gritos voltar a Acreditar..
Procuro o caminho de volta para mim mesma..
Preciso voltar a Acreditar....

Marysol Camacho

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O Pudim!...

Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir Pudim de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente um pedacinho minúsculo do meu pudim preferido. Um só. Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um pudim bem cremoso e saborear em casa com direito a
repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.


O PUDIM é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano. A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade. A gente sai pra jantar, mas come pouco. Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons. Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil'). Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta. Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo. Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar. E por aí vai. Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação... Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão... Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos. Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito. Recusar prazeres incompletos e meias porções. Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim: 'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'... Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar vários pedaços de pudim, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado. Um dia a gente cria juízo.
Um dia. Não tem que ser agora. Por isso, garçom, por favor, me traga: um pudim inteiro um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order', uma caixa de trufas bem macias e o Richard Gere, nu, embrulhado pra presente. OK? Não necessariamente nessa ordem. Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago . "


Autoria: Martha Medeiros
-

sábado, 3 de setembro de 2011

Espera!...


O primeiro encontro!
O coração ferve, se acelera...
ela se atrasa, perderemos o
teatro!
Mas isso importa?
Depois de tanto tempo,
tantas brigas, tantas promessas,
eis que chega o dia tão aguardado,
sonhado, desejado, chorado...
Sim, hoje ela virá!
Finalmente depois de anos
de espera, ela veio!
Preciso que algupem me belisque,
não acredito ainda que seja verdade,
mas é! Eu a vi mais cedo, na sua chegada!
Ahhh...depois de tantos planos,
ligações, emails, torpedos na calada da noite,
enfim chega o grande dia.
To me sentindo um garotinho,
mias pernas tremem diante
do sentir colada em mim,
meu amor.
Juntinha, agarradinha em mim.
Não tá frio, mas é o calor do amor,
dessa paixão que nos carrega a tanto tempo
e que hoje temos a chance de enfim
consumá-la!
Chega o dia...
que encerra de vez essa espera cruel, lancinante.
Mas, daqui para a frente será somente a espera,
até que ela simplesmente saia do banho,
nua em pelo,
e se atire sobre mim,
para me dar o amor
que nunca tive na vida.

(Carlos Almo - 04 de setembro de 2011)

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O amor!...

Por vezes não queremos amar alguem, mas a voz do coração vence a razão, não escolhemos quem amar, simplesmente acontece...''O amor é loucura e tentar fugir dele é impossivel.Esse momento mágico só acontece uma vez,ele vai além dos sonhos.O amor é vida, amar é viver e tentar não amar é perder a vida.Ele é tudo o que nós precisamos para viver e ser feliz.O amor é quando perdemos a noção do tempo, quando sentimos o nosso coração bater mais forte e quando os sentidos só querem a uma coisa!Se entregrar a esse sentimento que nos leva sem que possamos reagir...
 
Carlos Almo. Agosto/2011

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Saída!...

Existem certos momentos na vida em que algumas pessoas caem em um buraco vazio e escuro. Muitas delas ficam presas a vida toda e algumas outras, digamos que bem poucas, teêm a sorte de encontrar a saída sozinhas ou, como eu, teem a sorte de encontrar alguém.
Já estive neste buraco e sempre pensei que nunca mais iria sair de lá. Havia me conformado com a idéia de estar vazio, sem vida, sem amor, sem coragem, sem forças, sem confiança… Mas, um dia isso mudou. Tive a sorte de conhecer alguém que me trouxe a luz. Uma pessoa muito especial que me faz feliz todos os dias da minha vida, que me faz acordar tendo um sentido para continuar respirando. Uma pessoa que com um simples olhar, um simples sorriso me faz ser totalmente controlável por ela.
Assim como eu tive esta sorte, desejo que você também tenha. A melhor coisa que existe é você ter alguém que te ajude a enxergar a vida e a sentir o amor. Não queira ficar pra sempre no buraco, lá não existe felicidade. Para todos nós existe uma saída, é só ficarmos atento às coisas ao nosso redor.
Fique atento pois a luz pode se propagar em lugares improváveis.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

E agora?...

E agora me pergunto por que não lutar? Acredito que certas coisas não são pra ser mesmo. Por mais bonito que seja o por do sol ele sempre vai passar. Não podemos congelar aquilo que encanta os nossos olhos e satisfaz a nossa carência. Ainda assim acabo te amando da mesma maneira que sinto amor por Deus, apenas dentro do meu coração. Sem a presença física, mas o simples fato de pensar em você já me faz sentir alegria e posso relembrar o quanto foi doce sua presença em minha vida. Vou sempre te resgatar em minha memoria e pra te amar em meus sonhos.

Química!...

Na nossa química somos os únicos elementos, nada mais precisa para tornar sublime esse momento, coisas passageiras acontecem na vida, mas somente você sabe tornar algo comum na mais linda melodia.

Um jardim sem flores!...


Hoje o caminho está cinza.
As flores que nele semeei e nasceram, fenecem.
Cuidei com carinho, reguei, com elas falei, dei carinho.
Mas, elas fenecem.
Tento, 
corro,
me desesperava,
a tentar salvar minhas florzinhas,
mas dia a dia,
essas florzinhas,
como num castelo de cartas,
iam morrendo, uma a uma.
Mas sou insistente,
tenho fé.
Que este meu jardim, outrora florido,
verei de novo desabrochar.
Mas não posso cuidar dele sozinho,
advém daí a perda de suas cores,
por ter na maior parte do tempo,
dele cuidado mais só que com voce.
Sim, voce é peça importante nesse
processo.
AS flores sentem a sua falta!
Sim...!!! É isso!!!
Elas precisam de você, pois sentem sua falta!
Mas, voce, as desprezou, preferiu olhar para
outro caminho, um direito seu claro.
Mas as flores deste meu caminho,
precisam de sua atenção e amor.
Sem eles, provavelmente,
esse caminho perderá seu colorido,
e será apenas mais um solo sem vida.
com a cor cinza, do cimento,
da alma vazia.

(Carlos Almo - 23 de agosto de 2011)

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Perdida!...


Estou perdida..
Eu perdi um pedaço de mim,
Perdi a essência da minha alma,
Perdi o rumo, o prumo, perdi minha direção no mundo,
Quando me vi diante do fim.
Perdi meu amor próprio, perdi a vontade de viver,
Perdi minha alegria,
Perdi você...
Só não consigo perder esse amor que sinto
Tão forte e ardente...
Ninguém tira...nada acaba, ninguém destrói
o meu amor por você!
Mesmo com a dor, a magoa e tristeza,
Ele ainda existe
Persiste em viver,
E Insiste a cada dia
Que ainda quer você.

Cicilia Soares

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Flor de neve!...

Era uma vez uma flor de neve.......!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Sem ti na madrugada!...

Sempre quando a madrugada chega
me entristeço.
Porque longe de ti estou.
Não ouço sua voz,
see perfume não me entra nas
narinas.
Teu cabelo não se embaraça
em meu rosto.
Teu colo, seu calor não sinto.
Ó coisa cruel isso.
O frio subindo devagar e instalando
em meu coração.
Até que o amanhã chegue
e eu esteja de novo contigo amor.
Esse desejo, essa cumplicidade
que alegra meus dias,
entristece minhas noites,
sem ti.
Quisera ser o vento
a entrar devagarinho na fresta de sua janela
e suavemente te fazer levitar
para junto de mim.

(Carlos Almo - 29 de julho de 2011)

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Quando um não quer, dois não podem ser felizes!...



Para quem está de fora, é bem mais fácil perceber quando alguém está insistindo numa história que, muito provavelmente, não tem futuro. Mas para quem está envolvido diretamente nesta tal história, tentando simplesmente ser feliz no amor, parece que sempre vale a pena tentar mais uma vez.

Afinal, quase sempre o outro dá alguns sinais. Em geral, não são exatamente sinais verdes, mas amarelos, com certeza. Ou seja, deixa brechas que fazem com que a pessoa se encha de esperança, crie expectativas e fortaleça a ideia de que, quem sabe, talvez, se persistir mais um pouquinho, dê certo e engatem um encontro de verdade.

Acontece que, entre uma esperança e outra, sempre vem duas ou três frustrações, mais furos, mais desencontros, menos sintonia. E assim segue o ritmo desgastante e doloroso que só não vê quem não quer: quando um não está disponível, dois não podem viver uma história de amor!

Se você se identifica com algo parecido, se tem se sentido derrapando na estrada que acredita que o levará ao encontro da tão desejada felicidade, lembre-se do sábio dito popular: para um bom entendedor, meia palavra basta. Isto é, pare de dar murro em ponta de faca, reveja suas escolhas, olhe para a realidade tal qual ela se mostra e pare de viver de ilusões seguidas de desastrosas desilusões!

Você merece bem mais do que isso, mas só vai viver, de fato, algo que realmente o faça crescer e se sentir feliz quando acreditar nesta possibilidade e acender, você mesmo, todos os sinais vermelhos para esta história morna, sem intensidade, sem profundidade e sem coração, na qual você vem insistindo em investir.

Em primeiro lugar, perdoe tudo isso, todo o seu passado e todo o seu presente. Compreenda que todos nós erramos para, então, finalmente, acertar! Agora, convicto do que quer, talvez você se dê conta de que a pessoa que está procurando, a que você realmente quer encontrar, não é esta com quem vem lutando e se machucando a tempos. A que você realmente merece encontrar é aquela que estará tão envolvida quanto você.

Sim, isso mesmo, você precisa de um novo amor, mas não de um amor que só existe no seu mundo ou nas suas expectativas vazias. A partir de hoje, portanto, vai investir na busca ou mesmo na espera (consciente e equilibrada) de um amor recíproco, intenso, inteiro, entregue, que esteja tão disposto quanto você a experimentar todos os sentimentos e a superar qualquer dificuldade.

Um relacionamento que lhe renda sonhos realizados, desejos vivenciados e uma história consistente entre duas pessoas que reconhecem que vale a pena insistir, sim, num amor, desde que os dois corações estejam seguindo o mesmo caminho, na mesma direção. E assim, quem sabe, você nunca mais se deixe consumir numa insistência masoquista, esvaziada de qualquer criatividade ou reciprocidade...

Isto é amar e ser livre. Amar e ser feliz!
Rosana Braga

terça-feira, 26 de julho de 2011

Amantes!...

O Sol já vai nascer
Com todo seu esplendor
Você lentamente está acordando
Passei a noite velando o sono teu
Te olhando e acarinhando
Até a Lua com ciúmes
Atrás das nuvens se escondeu

Na madrugada fria
Para muitos sempre vazia
Nós nos procuramos e nos encontramos
No calor da nossa paixão
Em momentos únicos nos amamos
Momentos que só nós compartilhamos

Como uma gota de orvalho
Que na noite acaricia a flor
Teus beijos e caricias
São a recompensa do meu amor.

Mas tão certo como o amanhecer
É chegada a hora
Não é possível adiar
O dia já clareou
Devemos nos separar

Seguindo nossos próprios destinos
Mesmo não querendo
Temos de aceitar, pois sabemos
Que são tantos os motivos
Que nos impedem de livremente amar.

Até outra hora, outra noite
Em que iremos nos encontrar
Nos amaremos intensamente
Provocando ciúmes na Lua
Até o Sol raiar.

(Desconheço o autor)

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Me fala de paixão!...

Voce me pede
Que fale de paixão
Essa loucura que nos consome
Esses dias que nos agoniam
Quando precisamos nos amar.
Um dia sem ti é irritante, caótico.
Precisamos nos tocar sempre,
nos sentir juntos,
unir nossa pele,
gozar o maior gozo de todos,
o do amor verdadeiro.
As brigas, as rusgas, as
desconfianças viram pó,
quando nos amamos.
E essa é a nossa busca,
o nosso fim, nos unir.
Caminhar de mãos dadas,
sentar diante da lareira
vendo o crepítar do fogo,
que clareia ainda mais seu rosto.
Precisamos nos unir,
para curar as feridas desse
doído coração.
Os passos estão cada vez
mais curtos, em destino
a você.
A te desnudar o corpo,
a entrelaçá-lo ao meu,
nos entregando a essa volúpia
que nos incendeia.
Esse desejo que nos consome,
nos deixa sofregos pelo
encontro.
Vem me amar,
quero me queimar eu
teu calor.
Preciso de ti, como
precisa de mim.
Você é o oxigenio
de meu coração.
Então?
O que esperar mais?
Venha me fazer feliz,
ser o meu mundo.

(Carlos Almo - 14.07.2011)

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Você não amou o poeta!...

A madrugada chegou
A solidão a meu lado está,
A insônia me abraçou
A saudade veio me fustigar...

Lendo e escrevendo poemas de amor
Olhando as fotos que me enviou,
Meus lábios sentem o doce sabor
Dos beijos da boca que nunca beijou...

O silêncio grita em minha alma
Pensamentos atrelados à rosa pequena,
Afogo meu desespero em dose dupla de calma
Por mais que eu queira não vejo solução para o problema...

Por que demorou tanto a me aparecer?
Por que disse que sou o homem que tanto queria?
Por que momentos de alegria reverteram-se em eterno sofrer?
- Você não amou o poeta... Talvez gostou dos poemas que pra você escrevia!

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 16/07/2009
Código do texto: T1703564

sexta-feira, 17 de junho de 2011

É tempo de mudança!...


Quantos amores num só coração
Quantas atitudes fora da razão?
Quantos sonhos mal realizados,
Quantos romances terminados?

Quantas bocas foram beijadas,
Quantas paixões foram sufocadas?
Quantas confianças foram traídas,
Quantas situações em becos sem saídas?

Quantas quedas na caminhada,
Quantas feridas a serem cicatrizadas?
Quantos arrependimentos brevemente aflorarão
Quantas saudades nos machucarão?

Quantas lágrimas rolarão do rosto
Quantas marcas de profundo desgosto?
Quantas noites virando na cama
Perto de outro, mas longe de quem ama?

Quanto tempo perdido!
Quantas lutas sem jamais tê-las vencido?
Quantas cabeçadas ainda haveremos de dar
Até chegarmos aonde Deus quer nos levar?


Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 25/11/2008
Código do texto: T1302048

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Diversos amores!...

Muito se fala em amor e de como ele deve ser, muito se fala em sentimento e de como sentimos saudade, solidão ou paixão, muito se fala em sonhos e decepções, mas muito pouco se fala do que realmente interessa. O que é um homem para uma mulher e uma mulher para um homem?
Quando o amor acontece dentro da gente (podem até falar bem ou mal do amor, mas ele não escolhe credo, raça, condição social, idade ou qualquer outra coisa, o amor pode até às vezes ser cruel, porém ele é justo) muita coisa muda, aquilo que pensávamos ser inconcebível ou que nunca faríamos muitas vezes acabamos aceitando e fazendo, aprendemos que a nossa verdade não é mesma verdade do outro (e nem precisava ser), aprendemos a dividir desde um doce sorvete até as nossas mais amargas dores, a provocar sorrisos e a enxugar lágrimas, quando o mar estiver agitado e estivermos no meio de uma tempestade a única certeza que temos será que nos braços do nosso amor é que vamos nos sentir seguros.
Um homem para uma mulher e uma mulher para um homem são o complemento sentimental um do outro, enquanto ela chora ele enxuga as lágrimas e põem de volta um sorriso nos lábios dela, andar de mãos dadas é andar na mesma velocidade, é ajustar os ritmos, num encontro marcado enquanto ela espera ele corre para chegar a tempo.
Já perdi as contas de quantas vezes gostei de alguém, de quantas vezes até mesmo me apaixonei pela mesma pessoa, já perdi as contas de quantas vezes me decepcionei com esses amores, mas os meus sentimentos de carinho por elas sempre foram muito maiores,o amor vem do fundo da minha alma e não da superfície do meu pensamento, já não luto mais contra ele, se o meu olhar brilha, é porque parte desse brilho é pelo meu amor, se eu estou sorrindo nesse momento, é porque parte desse sorriso também é graças ao meu amor e se chorar no próximo segundo, as lágrimas não serão só minhas, serão também pelo meu amor.
O complemento sentimental é algo que experimentamos algumas vezes na vida (e como é inesquecível), sabe quando mesmo com a luz apagada é como se ela ainda estivesse acesa (visão e tato se misturam numa coisa só), mesmo lendo o que foi escrito pelas mãos é como se pudéssemos estar ouvindo a voz da pessoa, temos a nítida impressão que aquela moça ou moço que caminha a nossa frente é o nosso amor (por trás o cabelo é igual, pelas costas parece ser quem pensamos) e essa dúvida só é desfeita quando vemos que o rosto não é o mesmo, damos um sorriso, estamos sempre querendo que ele(a) esteja por perto.
Homem e mulher foram feitos um para o outro e se complementam em todos os sentidos e sentimentos, enquanto o homem tem a força à mulher tem a delicadeza, o homem pode até ir mais longe, mas a mulher enxerga mais adiante mesmo quando está mais atrás, lado a lado , ombro a ombro e lábios nos lábios, ele não é nada sem ela e ela será muito mais com ele.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Porque perco a paz!...


Olhos aventureiros verdes cor da esperança
Quando me fitas, quanta felicidade me traz...
Cabelos loiros cor d’ouro com duas tranças,
Fazem-me perder a Paz...

Teus braços que perfeição!
Quando me abraças quanto calor me faz...
Teus lábios me beijando ou não,
Fazem-me perder a Paz...

Teu corpo esbelto encostado ao meu
Que pensamento gostoso me traz!
Meus olhos longe dos olhos teus,
Fazem-me perder a Paz...

Tuas mãos que coisa sublime!
Quando me apertas, minha tristeza zás-trás,
Certas palavras que sutilmente me exprimes,
Fazem-me perder a Paz...

Mas que Paz é esta minha
Que se perde por qualquer motivo e sem nenhuma explicação?
Talvez ela saiba que tu és a bela loirinha,
Que não pode pertencer ao meu coração!

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 27/06/2009
Código do texto: T1670227

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Noite fria noite!...

Caminhava eu pela noite vazia,
nesse frio e garoa a me molhar,
mas não importa o quão frio sentia;
porque na alma ainda sentia sua presença.
Sim, não importa o quaõ frio esteja,
seu calor, do seu coração me aquece.
Tua boca me passa a paixão e o lamento,
de não estar perto dela.
Seu abraço é ainda mais sentido
nessa fria noite.
Ahhh seu corpo junto ao meu,
numa volúpia de prazer e de amor sem fim.
Pelo dia, pela noite, sempre tem esse sabor.
Se nós invejam? Certamente!
Pouco me importo com isso, quero mais
é que sirvamos de exemplo.
Essa chave que carregas, e que sempre a usa,
para abrir meu coração, para nele fazer
tua morada, é o que me importa realmente.
Na fria noite, silenciosa, sinto ainda 
mais sua falta.
Teu sorriso lindo, e gentil,
me faz falta agora.
Mas também tenho a certeza que
na próxima noite, seu calor, teu amor,
me embalarão.
Quero teu colo, tua boca, teu amor.
Como sei que quer o meu.
Lá fora, o frio continuará como dantes,
mas não em nosso abrigo, nosso ninho.
Vem e esqueça a garoa e o frio que nos
enregela por dentro.
A partir de hoje, nossa alma sempre estará
aquecida pelo nosso amor.

Carlos Almo - 18.04.2011)

sábado, 9 de abril de 2011

Desejo!...

Tua face junto à minha,
me devora com seu olhar,
me deixa rijo o membro,
desejando te amar.

Seus dedos por mim passeiam
sua mão, sofrega me quer,
eu não te resisto, me entrego.
Faça de mim o que quiser.

Não vivo sem você 
nem mais um minuto,
cada segundo um tormento.
Fico triste sem tú, de luto.

Minha alma sorri feliz
quando contigo está
Meu desejo é você
Seja aqui ou acolá.

Meu amor, tu é minha rainha
Deste e de outros mundos
Minha vida que era fuinha
Hoje, com tú é tudo.

Meus dias e noites
são a ti destinados
Em sonhos me devora
Somos loucos, e obstinados.

Meu viver é sonhar
Do teu lado eu quero a vida
inteira poder estar
Pra que possamos te-la assim, sempre unida.

Fui teu ontem e hoje o sou
Em seu abraço
Mais que delicioso
Quero deixar todo o esforço

De uma vida toda de lamento
Não quero mai viver
Porque tua luz e amor
Acabaram com todo meu sofrer.

(Carlos Almo - 09.03.2011 - 13:00)

domingo, 3 de abril de 2011

Sem ti!...

NÃO SE ESQUEÇA DO QUANTO TE DESEJO
NÃO SE ESQUEÇA DA NOSSA FELICIDADE,
NÃO SE ESQUEÇA DO SABOR DO MEU BEIJO
NÃO SE ESQUEÇA DE QUEM TE AMA DE VERDADE...

LEMBRE-SE DAS NOITES ENLUARADAS
LEMBRE-SE DOS MIL ABRAÇOS QUE TE DEI,
LEMBRE-SE DAS NOSSAS MÃOS ENTRELAÇADAS
LEMBRE-SE DA CAMA ONDE CONTIGO FIQUEI...

PENSE NO GRANDE AMOR DA SUA VIDA
PENSE NO HOMEM QUE NÃO TE ESQUECE,
NÃO SE ESQUEÇA QUE ÉS A MINHA MUSA QUERIDA
LEMBRE-SE, SEM TI MULHER... O POETA DE GOIÁS PADECE!



Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 06/04/2009
Código do texto: T1526119

quarta-feira, 30 de março de 2011

Poesia para minha namorada!...

Essa pele morena
Esse olhar apimentado
Essa boca pequena
Este homem deveras apaixonado...

Essas mãos de princesa
Essa voz aveludada,
Esse sorriso de rara beleza
Essa mulher sendo minha eterna namorada...

Esse corpo de manequim
Esses braços que irão me enlaçar,
Esse desejo de tê-la junto a mim
Esse sonho a um passo de se concretizar...

Essas vidas que brevemente se unirão
Essa felicidade criada para os mortais,
Essa morena que apoderou do meu coração
Dar-lhe-ei tantos carinhos, que dele não sairá jamais!

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 11/06/2009
Código do texto: T1644153

sábado, 26 de março de 2011

A chuva!...

Lá fora cai a chuva,
não a mansa que tanto gostamos
e apreciamos,
mas uma pesada.
Mas mesmo assim,
ela apenas serve de desculpa,
para que você se aninhe
juntinho de mim.
Sinto seu coraçãozinho
se acelerar,
se amedronta com os trovões
que rugem lá fora.
Mas se aquiete
minha doce pequena,
porque em meu peito
estás protegida,
deles.
Mas não está
do amor
que tenho por ti.
Venha, se rescoste em mim
minha doce neguinha.

(Carlos Almo, 26-03 19:23)

Não sei!...

Não sei se amei ou fui amado,
Não sei se compreendi e fui compreendido,
Não sei onde está o erro e nem o verdadeiro culpado,
Não sei por que razão tantas decepções tenho sofrido!

Não sei por que belos risos transformaram-se em tristeza
Não sei quem ouviu menos ou quem falou demais,
Não sei por que o ódio substituiu momentos de rara beleza,
Não sei por que tanta inquietude e tão pouca paz!

Não sei se houve mais tempestade que bonança
Se houve mais derrota que sucesso,
Se houve mais desânimo que esperança,
Se houve mais avanços que retrocessos...

Só sei que, o amor é bom enquanto dura,
Que as feridas, só o tempo incumbe de cicatrizar...
Que amar sem ser amado é verdadeira loucura,
Que nem todos os sonhos foram feitos para se realizar!

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 28/04/2008
Código do texto: T965547

terça-feira, 22 de março de 2011

Quero ser!....



Diante suas dúvidas quero ser a sua total certeza;
Diante suas lágrimas quero ser o lenço a enxugá-las;
Diante sua saudade quero ser o preferido do seu pensamento;
Diante sua impaciência quero ser a sua calma;
Diante a sua dor quero ser o eficaz analgésico da sua alma.

Diante seu olhar quero ser o homem capaz de fazê-lo brilhar;
Diante o seu belo sorriso quero sempre motivos proporcionar;
Diante uma noite de luar quero ser o único poeta a lhe escrever lindos versos de amor;
Diante a luz do sol quero ser o seu protetor solar;
Diante seus desejos quero mil carinhos lhe dar...

Diante um Adeus, dentro do meu peito quero lhe levar;
Diante suas quedas quero ser o braço forte a lhe erguer;
Diante seus sonhos quero ser a sua plena realidade;
Diante seus anseios quero ser a sua mais cristalina felicidade;
Diante da sua companhia quero até o último instante viver!

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 14/02/2009
Código do texto: T1439717

sábado, 19 de março de 2011

Lição de vida!...

Quando tive vontade de chorar, aprendi, devo alegrar-me da vida maravilhosa que tenho;

Quando tive vontade de fugir dos meus problemas, aprendi, o melhor caminho a seguir é enfrentá-los e resolvê-los;

Quando tive vontade de maltratar a quem me decepcionou, aprendi, o remédio para cicatrizar as feridas do coração é o perdão;

Quando tive vontade de sonhar alto, aprendi, nem tudo o que desejamos poderá se transformar em realidade;

Quando tive vontade de trair aprendi, ainda não havia encontrado a minha cara metade;

Quando estive enfermo abracei-me a Deus e aprendi, devo dar maior valor à minha vida;

Quando estive à beira da morte aprendi, ela não é o fim, mas sim o começo de uma nova vida;

Quando estive envolvido em vícios aprendi, meu corpo deve ser templo do Espírito Santo e jamais morada de satanás;

Quando fui desprezado aprendi, devo ser solidário com aqueles que me rodeiam;

Quando fui elogiado aprendi, devo ser mais humildade e menos convencido;

Quando fui injuriado aprendi, se não tenho condições de falar bem das pessoas, melhor ficar calado;

Quando fui injustiçado aprendi, antes de condenar meu próximo, devo ter provas inequívocas de seu erro;

Quando amei e fui amado aprendi, devo exercitar o diálogo e perdão, ter confiança e aceitação. Ter fé inabalável na força irresistível que brota do mais sublime dos sentimentos...

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 13/11/2008
Código do texto: T1282186