quarta-feira, 11 de maio de 2011

Diversos amores!...

Muito se fala em amor e de como ele deve ser, muito se fala em sentimento e de como sentimos saudade, solidão ou paixão, muito se fala em sonhos e decepções, mas muito pouco se fala do que realmente interessa. O que é um homem para uma mulher e uma mulher para um homem?
Quando o amor acontece dentro da gente (podem até falar bem ou mal do amor, mas ele não escolhe credo, raça, condição social, idade ou qualquer outra coisa, o amor pode até às vezes ser cruel, porém ele é justo) muita coisa muda, aquilo que pensávamos ser inconcebível ou que nunca faríamos muitas vezes acabamos aceitando e fazendo, aprendemos que a nossa verdade não é mesma verdade do outro (e nem precisava ser), aprendemos a dividir desde um doce sorvete até as nossas mais amargas dores, a provocar sorrisos e a enxugar lágrimas, quando o mar estiver agitado e estivermos no meio de uma tempestade a única certeza que temos será que nos braços do nosso amor é que vamos nos sentir seguros.
Um homem para uma mulher e uma mulher para um homem são o complemento sentimental um do outro, enquanto ela chora ele enxuga as lágrimas e põem de volta um sorriso nos lábios dela, andar de mãos dadas é andar na mesma velocidade, é ajustar os ritmos, num encontro marcado enquanto ela espera ele corre para chegar a tempo.
Já perdi as contas de quantas vezes gostei de alguém, de quantas vezes até mesmo me apaixonei pela mesma pessoa, já perdi as contas de quantas vezes me decepcionei com esses amores, mas os meus sentimentos de carinho por elas sempre foram muito maiores,o amor vem do fundo da minha alma e não da superfície do meu pensamento, já não luto mais contra ele, se o meu olhar brilha, é porque parte desse brilho é pelo meu amor, se eu estou sorrindo nesse momento, é porque parte desse sorriso também é graças ao meu amor e se chorar no próximo segundo, as lágrimas não serão só minhas, serão também pelo meu amor.
O complemento sentimental é algo que experimentamos algumas vezes na vida (e como é inesquecível), sabe quando mesmo com a luz apagada é como se ela ainda estivesse acesa (visão e tato se misturam numa coisa só), mesmo lendo o que foi escrito pelas mãos é como se pudéssemos estar ouvindo a voz da pessoa, temos a nítida impressão que aquela moça ou moço que caminha a nossa frente é o nosso amor (por trás o cabelo é igual, pelas costas parece ser quem pensamos) e essa dúvida só é desfeita quando vemos que o rosto não é o mesmo, damos um sorriso, estamos sempre querendo que ele(a) esteja por perto.
Homem e mulher foram feitos um para o outro e se complementam em todos os sentidos e sentimentos, enquanto o homem tem a força à mulher tem a delicadeza, o homem pode até ir mais longe, mas a mulher enxerga mais adiante mesmo quando está mais atrás, lado a lado , ombro a ombro e lábios nos lábios, ele não é nada sem ela e ela será muito mais com ele.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Porque perco a paz!...


Olhos aventureiros verdes cor da esperança
Quando me fitas, quanta felicidade me traz...
Cabelos loiros cor d’ouro com duas tranças,
Fazem-me perder a Paz...

Teus braços que perfeição!
Quando me abraças quanto calor me faz...
Teus lábios me beijando ou não,
Fazem-me perder a Paz...

Teu corpo esbelto encostado ao meu
Que pensamento gostoso me traz!
Meus olhos longe dos olhos teus,
Fazem-me perder a Paz...

Tuas mãos que coisa sublime!
Quando me apertas, minha tristeza zás-trás,
Certas palavras que sutilmente me exprimes,
Fazem-me perder a Paz...

Mas que Paz é esta minha
Que se perde por qualquer motivo e sem nenhuma explicação?
Talvez ela saiba que tu és a bela loirinha,
Que não pode pertencer ao meu coração!

Moacir Silva Papacosta
Publicado no Recanto das Letras em 27/06/2009
Código do texto: T1670227